A Mulher Não é Inferior ao Homem (eBook)

avaliação dos leitores (1 comentários)
(1 comentários)
Formatos disponíveis
7,99€ I
7,19€ I
-10%
COMPRAR
-10%
7,99€ I
7,19€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO IMEDIATO
I Disponibilidade Imediata

SINOPSE

Escrito em 1739, A mulher não é inferior ao homem é um trabalho marcante na história da discussão sobre a igualdade entre os géneros.
Considerada como uma das primeiras obras protofeministas, é um manifesto que apela à mudança, instando os leitores a questionarem e a confrontarem as estruturas que perpetuavam a desigualdade. Passados mais de 200 anos, a discussão ainda prevalece e, por isso, é essencial não esquecer as muitas mulheres que lutaram – e continuam a lutar – por uma sociedade efetivamente mais justa e igualitária.
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

A Mulher não é Inferior ao Homem
Daniel Santos Morais | 2024-03-09
Este é um texto que reivindica poder e dignidade. Um texto que reivindica o acesso ao conhecimento, à educação e intelecto como instrumento de combate à insubmissão e bestialidade humana. Uma obra que reclama para as mulheres os mesmos direitos de chefia e autoridade que os homens descortinando as desigualdades resultantes do velho sistema de crenças patriarcal. Passados mais de 200 anos, inserida no mês da história da mulher, a discussão em torno da representação feminina em altos cargos mostra ainda prevalecer. Esta é uma obra que mostra como a luta feminista é uma luta longa, de séculos, e que reivindica nada mais nada menos que equidade e justiça social.

DETALHES DO PRODUTO

A Mulher Não é Inferior ao Homem (eBook)
ISBN: 978-989-740-285-2
Edição/reimpressão: 02-2024
Editor: Ideias de Ler
Código: 69292
Idioma: Português
Páginas: 80
Tipo de Produto: eBook
Classificação Temática: eBooks > eBooks em Português > Política > Política em Geral
Sophia, Uma pessoa de qualidade é o pseudónimo da autora, que decidiu escrever a presente obra anonimamente – um recurso popular no século XVIII, mas que certamente a protegia da sociedade profundamente patriarcal da época. Sophia identificava-se como uma jovem mulher de classe alta (o que caracterizava também mulheres feministas historicamente mais reconhecidas, como Mary Astell ou Mary Wollstonecraft), mas alguns argumentavam que poderia tratar-se de um homem. Ao longo das épocas foram ganhando força as teses de a sua verdadeira identidade ser Mary Wortley Montagu ou Sophia Fermor, escritoras e poetas da aristocracia inglesa, mas tal nunca veio a ser comprovado com total certeza.
Ver Mais